Assista ao vídeo e pratique os exercícios

Sergio Amaral

Confira o vídeo de Técnica vocal / Exercícios de respiração

Sergio Amaral
Sergio Amaral
  • Abaixo você confere mais dicas de como cuidar da sua voz. Alguns cuidados são necessários para manter a voz em bom estado.
Sergio Amaral
Sergio Amaral

Faça esses exercícios com roupas confortáveis e ambiente tranqüilo.

Deitado

  1. Deite-se de costas, certifique-se de que sua coluna esteja em contato com o chão.
  2. Observe a oscilação natural de sua respiração, que se expande e contrai, por meio de seu tórax e abdome, e pelo ouvir atento dos sons que emanam do interior.
  3. Apenas observe e ouça as ações de seu corpo. Não as manipule, não as controle. Apenas respire e conscientize-se de sua respiração.


Em pé

  1. Fique ereto, com as pernas afastadas e na direção dos ombros.
  2. Distribua o peso igualmente.
  3. Imagine-se agora segurando uma bola de praia debaixo de cada axila e sinta os espaços respiratórios que se abrem. (Isso o encorajará a alongar os seus ombros e a abrir as suas axilas e, conseqüentemente, expandir o volume de seu tórax para uma respiração mais profunda)
  4. Seu pescoço e cabeça devem estar alongados e livres.
  5. Mantenha essa posição por um minuto ou mais.
  6. Desfrute a extensão de sua coluna dorsal, o espaço respiratório extra e a sensação de equilíbrio adequado entre o estado de calmaria e o de atenção.

 

Exercícios dinâmicos

Os exercícios dinâmicos combinam o movimento com o controle da respiração.

Riso

  • Sorria para o mundo! Em círculos, movimente, vigorosamente, as suas mãos, braços, pernas e pés. Permita-se alguns segundos de relaxamento entre cada rotação. Mas continue sorrindo. Você pode fazer este exercício em pé, sentado ou deitado.

Equilíbrio

  • O equilíbrio é importante. Tente estipular um horário para o exercício de “comportamento modal” – o andar, o virar-se e o inclinar-se com livros sobre a cabeça. Respire suave e conscientemente, em harmonia com os movimentos de seu corpo. Isto encoraja a coordenação suave graciosa dos músculos.

Exercícios de respiração completa

1. Permaneça com seus pés confortavelmente dissociados dos seus ombros, que apontam para cima; os braços e as mãos soltas ao lado do corpo. Concentre-se em sim mesmo, confira a sua postura.Inspire pelo nariz Teatro_evangelico_apostilaso mais demoradamente possível e expire todo o ar também devagar e silenciosamente. Quando sentir-se vazio de ar, tussa e mostre para você mesmo que ainda possui reservas de ar escondidas. Tente tocar o solo com a ponta dos dedos, curve os joelhos se necessário. Segure sua respiração por alguns segundos.

2. Conforme você respira, silenciosamente, pelo nariz, você, gradativamente, torna-se ereto. Estenda os braços como asas, erguendo-as calma e suavemente, até equilibra-los horizontalmente.

3. Assim que você completar o movimento e a inspiração, coloque as mãos juntas acima da cabeça (como se estivesse em oração). Lembre-se que as mãos postas devem estar acima do topo de sua cabeça. Segure a inspiração.

4. Quando você estiver preparado, silenciosamente, expire pela boca, e abaixe os seus braços, reta e vagarosamente, até que estejam abaixo da horizontal. técnica-vocalRapidamente solte o ar que sobrou em um suspiro forte e permita que a parte superior do seu corpo caia pesadamente , curve o quadril para a frente, deixando a cabeça pendente. Conscientemente libere todo o ar “usado”, de que você não mais precisa. Relaxe por algum tempo e repita o exercício desde o início.

 

Exercício de liberação da voz

  • Algumas pessoas sentem-se incapazes de facilitar e de liberar as suas vocalizações. Elas podem sentir sua voz natural, de alguma forma, bloqueada, amarrada ou suprimida. Tente este exercício de liberação da voz como parte de seu programa vocal.
  • Sente-se de cócoras, dobre e recurve o seu corpo em um nó, teso e compacto, de braços e pernas; tente condensar-se em uma menor massa possível. Segure a sua respiração e os órgãos vocalizadores no centro desta massa.

Como último esforço, respire e estique-se, rápida e vigorosamente. Solte a sua voz num profundo “UGH”, Teatro evangélico peças infantis e dicaspor meio do som mais profundo que você possa encontrar. Maximize e aproveite o espreguiçamento.

  • Descanse por um minuto. Repita o exercício por até dez vezes. A cada vez, interiorize mais, e projete sua voz relaxada mais forte e prolongue cada vez mais o som. Observe que você envolve todo os seu corpo na vocalização, particularmente a pélvis e o diafragma. Márcio Cintra.

A higiene vocal

Alguns cuidados são necessários para manter a voz em bom estado, principalmente para quem a usa profissionalmente:

O que evitar:

A fumaça quente do cigarro agride todo o sistema respiratório e, principalmente, as pregas vocais causando irritação, pigarro, tosse, edema, aumento de secreção e infecções; a fumaça agride diretamente a mucosa que protege as pregas, aumentando o muco e provocando pigarro, favorecendo irritação e alteração na voz.
O álcool causa irritação semelhante à produzida pelo cigarro; embora a pessoa que ingere álcool sinta-se mais solta, há uma leve anestesia na faringe, e pode-se abusar da voz sem que se perceba. Quando passa o efeito, pode-se sentir ardor, queimação e voz rouca e fraca.
As drogas inalatórias ou injetáveis tem ação direta sobre a laringe e a voz, podem alterar a mucosa e causar lesões no septo nasal.
Se você sofre de problemas nas vias respiratórias, evite umidade, mofo, poeira, agasalhos de lã, perfumes, inseticidas, desinfetantes, tintas frescas e tudo que possa desencadear suas crises.
Bebidas geladas ou quentes agridem o muco, se não dá para evitá-las deixe ums segundos na boca antes de engolir; café altera o sistemanervoso e agride o muco pelo calor; leite e chocolate aderem ao muco; balas, pastilhas e sprays podem mascarar a dor do esforço vocal, prejudicando as mucosas.
Roupas apertadas na cintura e no pescoço impedem a livre movimentação do diafragma e da laringe. Pigarrear e tossir com frequência contribui para alterações nas pregas vocais, pelo atrito. Melhor inspirar e engolir a saliva, tomar água e fazer gargarejos para limpar a garganta.
Mudanças bruscas de temperatura e o ar condicionado, favorecem alterações na mucosa.

– O que podemos fazer:

Tomar água na temperatura ambiente antes, durante e depois da apresentação, para repormos os sais perdidos pelo esforço e hidratarmos as pregas vocais.
A maçã é excelente para a voz, auxilia a limpeza da boca e da faringe; suco de laranja auxilia a absorção do excesso de secreção. No caso de garganta irritada, gargarejos de água morna com sal, meio copo para uma colher de café ou de água morna com tintura de própolis, meio copo para dez gotas ajudam bastante. Cristais de gengibre auxiliam, mas em excesso agridem.
Fazer relaxamento, alongamento e aquecimento do corpo e pregas vocais antes de cada apresentação, por quinze, vinte minutos ou meia hora, o mais próximo possível da hora de cantar.
Ingerir comidas protéicas e leves, como massas, que digerem rápido, ao menos uma hora e meia antes de cantar, temos alto gasto energético no palco, e precisamos dessa energia. Cantar de barriga vazia cansa e de barriga cheia atrapalha a movimentação do diafragma.
Dormir bem, pois a voz necesita de energia e do corpo descansado.
Caminhar e nadar são os melhores exercícios para quem canta e atua, pois trabalham de forma geral a musculatura e respiração. OBS: sentindo alterações na voz por período prolongado ou muita frequência, procure um fonoaudiólogo ou otorrinolaringologista.

A Saúde Vocal

A utilização da voz humana como forma principal ou exclusiva de trabalho categoriza as profissões em dois grandes grupos: vocais e não-vocais.

As áreas da comunicação e artes, em especial os locutores, cantores e atores fazem parte do grupo dos profissionais vocais. Para estes a voz é seu principal instrumento de trabalho, embora nem sempre eles tenham consciência disso. É importante ressaltar que para ser um bom profissional desta área é fundamental cuidar bem da voz, mantendo saúde e estética vocal. Para tanto deve-se buscar a orientação e acompanhamento vocal com profissionais habilitados, pois a manutenção saudável e estética da voz garantem a estes permanência no mercado de trabalho.

Hoje, na era da comunicação, já é mito afirmarmos que somente os vocalmente “bem-dotados” podem exercer profissões vocais. As práticas fonoaudiológicas, legalmente reconhecidas na área da saúde, auxiliam no desenvolvimento do potencial vocal saudável sem recursos medicamentosos ou cirúrgicos. Apesar disso, o desconhecimento da higiene vocal tem levado muitos a manifestarem doenças laríngeas leves, e as freqüentes repetições destas afecções chegam até mesmo à agravamentos que culminam em tratamentos cirúrgicos.

O alto índice de alterações vocais nos profissionais da voz tem merecido especial atenção dos fonoaudiólogos, pois a utilização da voz inadequada, resulta em uso abusivo do aparelho fonador. A exposição aos fatores nocivos como falar/cantar prolongadamente em ambientes ruidosos, sem tratamento acústico apropriado, ou mesmo o inocente hábito de pigarrear bruscamente, sempre antes do ato da fala, deixam o falante mais vulnerável. Alguns profissionais utilizam erradamente como prevenção aos problemas vocais pastilhas, conhaques, gengibre, sprays, entre outros. É ainda muito comum encontrarmos locutores, atores e cantores dedicando grande parte do seu tempo em ensaios e preparos de leituras, sem contudo investir igual atenção na forma saudável de apresentá-las.

É preciso conhecer e desenvolver medidas preventivas, mudando pequenos hábitos e comportamentos no nosso cotidiano, não apenas quando a rouquidão aparece. Alguns cuidados básicos devem ser observados, como:

1- disciplinar os horários de trabalho para que haja repouso vocal após cada apresentação;

2- hidratar-se com 7 à 8 copos de água por dia;

3- evitar a ingestão de drogas inalatórias ou injetáveis que têm ação direta sobre o laringe e a voz, além de alterações cardiovasculares e neurológicas.

4- evitar o uso do fumo, inclusive da maconha, pois a aspiração provoca um super aquecimento no trato vocal deixando a voz mais grave (grossa);

5- utilizar roupas leves que permitam a livre movimentação do corpo, principalmente na região do pescoço e cintura, onde estão situados a laringe e o músculo diafragma;

6- evitar a ingestão de refrigerantes, comidas gordurosas ou condimentadas, pois estes produzem gases e refluxo gastroesofágico prejudicando os movimentos respiratórios, além de lesar a mucosa;

7- evitar as mudanças bruscas de temperatura no ar ou líquido;

8- realizar exercícios de relaxamento regularmente, liberando a tensão corporal evitando a produção vocal com esforço e tensão;

9- realizar avaliações auditivas e fonoaudiológicas periódicas.

10- manter a melhor postura da cabeça e do corpo durante a fala ou canto.

O melhor seguro que os profissionais vocais podem fazer para preservar seu instrumento de trabalho é manter a saúde vocal.

 

Rosane Paiva da Silva

Algumas dicas para uma boa voz

Aqui estão selecionadas algumas pequenas dicas, a serem colocadas em prática , antes, durante e após a apresentação vocal. Talvez algumas delas, não retratem o ponto de vista de outros colegas, e podem também, divergirem de pessoa para pessoa, de acordo com o organismo de cada um. Entretanto, procurei adaptar aquilo que mais se enquadra no “cantar” bem, norteado por amigos profissionais experientes e também, claro, por mim mesmo. Muito bem, vamos a elas…

• Procure cantar sempre em pé, com postura ereta. Evite roupas apertadas.

• Postura ereta, neste caso, não significa rigidez, mas sim, prontidão. Prontidão à respostas imediatas do organismo, exigidas para uma boa vocalização.

• Relaxe a musculatura do corpo, principalmente a do tronco. • Através de exercícios técnicos, um aquecimento vocal é sempre fundamental antes de cada apresentação.

• Após a apresentação, faça repouso vocal.

• No canto, a hidratação da mucosa é de fundamental importância. Procure tomar pelo menos dois litros de água por dia.

• Procure ter ciência do que vai cantar. Isso evitará frustrações por medo, timidez, ansiedade, etc.. No caso de uma melodia nova, procure estudar o texto em “off “, (sem acompanhamento), isso lhe trará maior segurança posterior.

• Com o microfone, é muito importante ouvir sua própria voz, one. Se sentir que o acompanhamento está lhe incomodando, não hesite em pedir para aumentar o volume, ou pedir para abaixar a “cozinha”, (acompanhamento).

• Aprenda a reconhecer sua voz, novos timbres, tessituras ( tons graves, médios e agudos), partes ressonantes da máscara facial. É importante você monitorar sua voz, constantemente.

• Procure não comer em excesso momentos antes das aulas, e beba água sem gelo durante o aprendizado.

• Atenção às comidas super-condimentadas e gordurosas. Não fazem bem para a mucosa e prejudicam o sistema respiratório.

• É relevante o hábito de exercícios de relaxamento, procurando evitar uma apresentação sob tensão e esforço.

• Não é bem vista a auto-medicação via nasal. Procure antes um especialista.

• Abomine o uso de bebidas alcoólicas, drogas e fumo, dando ênfase especial à maconha, cuja aspiração provoca super-aquecimento no complexo vocal, tornando a voz mais grave.

• Não exagere na ingestão de bebidas quentes em excesso, (chá, café, chocolate, etc..).

• Cuidado com mudanças bruscas de temperatura, seja por ingestão de líquidos ou fatores climáticos. Fuja do contato próximo a ares-condicionados e ventiladores. Se não for possível, aumente a ingestão de água à temperatura ambiente.

• Nada de esforços vocais desnecessários, como gritar e falar alto. Evite falar demais ao telefone.

• Ao falar, não force sua tessitura vocal (tons agudos ou graves). Fale no seu tom normal de voz. Por falar nisso, exija de seu professor para acompanhar no seu tom de voz mais adequado. Ele que se vire se cair em bemóis ou sustenidos, (teclas pretas).

• Mantenha a concentração durante as aulas. Lembre-se de que sua voz é um instrumento que toca através do seu metabolismo, do seu espírito, da sua alma.

• Esqueça os problemas extra-aula. Certifique-se de que você necessita de total relaxamento e concentração durante esse período.

• Procure, pelo menos uma vez ao ano, visitar um otorrino para uma avaliação médica.

• Alimentos pesados antes de dormir irritam as pregas vocais. • Dormir bem é de fundamental importância.

• Não cante estressado.

• É extremamente prejudicial cantar exaustivamente em ambientes de muito barulho, ou sem tratamento acústico adequado.

• Evite cantar se não estiver bem de saúde.

• Até hoje, não ficou cientificamente provado o uso de sprays, gengibre, conhaque, pastilhas, alho na manteiga, cebola crua, limão com mel, rapadura do Egito, e outras misturas milagrosas, como prevenção aos distúrbios vocais. Respeito a opinião de colegas, mas na minha ótica, é tudo uma questão de auto-sugestão, ou seja, se você por na cabeça que essas poções lhe farão bem, vá em frente, mas deixe seu clínico geral de sobreaviso.

• Adquira seu próprio microfone. Uma questão de higiene e identificação

Como aperfeiçoar a voz

Muitas pessoas, hoje, têm procurado professores de canto. Algumas começando “do zero”, outras procurando aperfeiçoar seus talentos e umas poucas considerando essas aulas uma terapia contra a timidez. Entretanto, muitos também se prendem a certas regras ensinadas de maneira errada e as aulas, ao invés de prazerosas, se tornam pesadas e desestimulantes.

Nem todo bom cantor é um bom professor. Um dos erros cometidos na escolha do professor de canto é considerar sua capacidade de ensino apenas tomando por base sua voz. É prudente procurar sempre uma aula experimental, onde você possa conversar com o professor, apreciar o método de ensino e expôr suas dificuldades. Procure também saber se o professor tem conhecimento do trato vocal como um todo, desde o trato muscular que dá suporte à respiração até o trato bucal. Evite os professores que façam uso de métodos sistemáticos, com lições únicas para todo e qualquer aluno. Isso, porque a voz é como uma impressão digital, com características peculiares a cada pessoa, e por isso serão necessários exercícios específicos e aplicações diferenciadas para cada aluno.

É importante, também, ser cuidadoso com as “fórmulas” para o aperfeiçoamento da voz – comer isso, beber aquilo, evitar aquela outra coisa. Antes, é necessário saber que os alimentos não passam pelas cordas vocais. Existe uma espécie de “tampa” entre o esôfago e a traquéia; quando respiramos, ela bloqueia o esôfago, e quando comemos, ela bloqueia a traquéia. Por isso não é correto afirmar que aquele chazinho ou aquela frutinha vai limpar suas cordas vocais. O máximo que pode acontecer é a limpeza dos resíduos alimentares, principalmente açúcares, depositados antes dessa divisão.

O açúcar é o alimento que tem as moléculas mais facilmente quebradas pelas enzimas de nossa saliva. Como exemplo, podemos citar o chocolate, que contém muito açúcar. Como foi dito, parte desse açúcar pode ficar depositado na parede que antecede a divisão entre a traquéia e o esôfago. Isso é o que causa a sensação de pigarro (depósito de secreção na garganta) que impede o canto. Para evitar esse incômodo, é bom evitar a ingestão de alimentos com açúcar antes de cantar. Caso isso aconteça, porém, a ingestão de água ou de frutas com certo teor de acidez (maçã, por exemplo) facilitará a retirada desses resíduos.

Outro erro muito comum – e isso é muitas vezes recomendado pelos professores – é a ingestão de pastilhas, cristais de gengibre ou qualquer outro remédio com efeito anestésico, para evitar a dor e a rouquidão na hora de cantar. É bom lembrar que a dor é sinal de que existe algo errado ocorrendo com nosso corpo, e por isso nem sempre é bom fugir dela. A dor ao cantar pode ser sintoma de uma inflamação, infecção ou mesmo da formação de um calo ou fenda nas cordas vocais. O uso de um anestésico apenas esconderá esse sintoma e piorará o quadro.

A rouquidão, por sua vez, é fruto do mau uso das cordas vocais. Elas foram “projetadas” para vibrar apenas sob o efeito do ar passando por elas. Quando vão além disso, sendo esticadas pela musculatura que as apóia em função dos excessos cometidos no canto (notas além da extensão, gritos, colocação errada das notas), elas poderão inchar e não vibrar como deveriam. Assim, sobrará pouco espaço para a vibração correta e elas poderão encostar uma na outra, interrompendo o som.

É absolutamente necessário determinar com exatidão o timbre vocal. É importante saber que, por exemplo, nem toda pessoa que canta soprano é soprano de fato. Cantar fora da extensão ou do timbre é extremamente prejudicial, na verdade uma das principais causas da formação de calos ou fendas vocais. É imprescindível a realização de um teste específico de extensão e região confortável da voz antes do início das aulas propriamente ditas.

Mesmo reconhecendo realidades diferentes e sabendo que nem todas as pessoas têm condições de arcar com os custos das aulas de canto, é necessário frisar que não existe um método de aprendizado que faça o aluno desenvolver seu canto corretamente sem o auxílio de um professor. Todos nós aprendemos a falar porque ouvimos, ou seja, o som que produzimos é resultado das influências auditivas que recebemos desde criança. Por isso uma pessoa surda, mesmo tendo o trato vocal intacto, tem grande dificuldade para aprender a falar e controlar os sons que emite. Assim, é necessário ouvir os exercícios antes de fazê-los, e somente um professor habilitado poderá executá-los corretamente, corrigindo o aluno até que este reproduza o exercício com fidelidade. Trocando em miúdos: um método escrito não tem utilidade alguma sem o acompanhamento de um professor.

Qualquer pessoa pode cantar, mas nem todos podem ser cantores. Existem certas peculiaridades na voz que podem facilitar ou dificultar muito o canto. Como já foi dito, a voz humana é como uma impressão digital e jamais haverá duas vozes exatamente iguais. Talvez o maior erro cometido por certos professores é a maneira de tratar seus alunos nesse aspecto. Esperando sempre formar ótimos cantores, costumam se dirigir aos seus alunos assim: “Sua voz é horrível!”; ou: “Você é desafinado demais!”; ou ainda: “Desista, você não vai conseguir nunca!”.

Antes de buscar o aperfeiçoamento de seu próprio currículo, o professor deve se lembrar que não está lidando com uma máquina, mas com a emoção e a sensibilidade humana. Antes de ferir qualquer emoção, o professor deve buscar o seu próprio equilíbrio emocional. Fatores como cansaço, tristeza ou doenças, mesmo não sendo no trato vocal, podem interferir muito no processo de aprendizado ou na performance. Um bom professor deve saber lidar com todas essas situações com paciência, temperança e bom humor. Se o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio, que sejam essas virtudes as primeiras a serem demonstradas, antes mesmo de qualquer conhecimento de técnica.

Sergio Amaral

Confira mais dicas para seu ministério!

Sergio Amaral

Dicas e Dúvidas iniciais para a função vocal

Postura de Cantor

A postura é muito importante para o cantor, pois apesar de termos que ficar bem à vontade e descontraídos, temos também de observar alguns pontos importantes tais como:

• Pés paralelos na direção dos ombros
• Braços e ombros relaxados
• Coluna reta

Observando também que como utilizamos a respiração diafragmática, devemos deixar a região abdominal livre para que o diafragma funcione tranquilamente.

Procurar seguir estes passos não significa que devamos ficar parados nesta posição para que tenhamos um bom resultado, mas ficarmos soltos, relaxados e principalmente nos sentirmos bem e à vontade quando estamos cantando, pois cantar tem que ser sempre prazeroso.

Podemos também cantar sentados observando a postura reta deixando o diafragma livre para funcionar bem.

Movimento das Pregas Vocais

As pregas vocais fazem o movimento abre-fecha, ou seja, quando estamos calados elas estão abertas (momento da respiração) e quando falamos ou cantamos elas se fecham (momento da fonação) Símbolo teatro evangélico dicas ministériaisinfelizmente elas não fazem somente estes movimentos mas também se chocam quando são submetidas a abusos vocais como: gritos, pigarreio e tosses excessivos, utilizar tons graves ou agudos demais, praticar esportes falando, competição sonora, etc… Estes choques pode prejudicar demasiadamente as pregas vocais.

Eu cuido bem da minha voz?

Responda as questões a seguir como uma forma de auto-avaliação sobre o cuidado que você tem com sua voz.

1. Você percebe se ao final de um dia de trabalho (ou apresentação) sua voz está mais fraca? 2. Você canta em diversos tons?
3. Quando você canta, leciona ou fala em público, suas veias ou músculos do pescoço saltam? 4. Você sente dores na região do pescoço?
5. Após cantar você sente dor de cabeça?
6. Quando você canta acompanhando um cd, por exemplo, você segue sempre o tom do cantor?
7. Você canta freqüentemente?
8. Você canta ou ensaia durante horas seguidas?
9. Você tem resfriados freqüentes?
10. Você fuma?
11. Você pigarreia muito?
12. Você tem alergia das vias respiratórias?
13. Você tem faringite, amigdalite ou laringite freqüentes?
14. Você se auto-medica quando tem problemas na voz? 15. Você tem dificuldades digestivas? (azia, úlcera, refluxo gastresofágico)

Importante

• SE VOCÊ MARCOU MAIS QUE 4 ITENS FIQUE ATENTO E PROCURE TOMAR ALGUMA PROVIDENCIA NO SENTIDO DE MODIFICAR SEUS HÁBITOS.

• SE VOCÊ MARCOU MAIS DE 6 ITENS PROCURE UM ESPECIALISTA PARA QUE ELE AVALIE O ESTADO DE SUAS PREGAS VOCAIS POIS COM ESTES SINTOMAS VOCÊ JÁ TEM QUE FICAR ATENTO PARA QUE NÃO OCORRA PROBLEMAS MAIORES FUTURAMENTE.

Quais as conseqüências que os abusos vocais podem me causar?

Estes abusos podem provocar alterações como:

o Calos vocais
o Nódulos
o Pólipos
o Edemas
o Fendas

Dentre outras alterações ocasionadas pelas constantes formas de abuso vocal.

Qual o primeiro passo a ser tomado para cuidar da minha voz?

A primeira providência a ser tomada é a consulta a um especialista, o OTORRINOLARINGOLOGISTA, que é o médico que poderá detectar se há ou não alguma alteração no seu aparelho fonador. Teatro EvangélicoÀ partir do diagnóstico feito pelo Otorrinolaringologista, se necessário o médico indicará o tratamento para a correção de tais alterações com outro especialista, o FONOAUDIÓLOGO, que fará a correção destes problemas através de exercícios.

Que tipo de exame é feito para detectar alterações no meu aparelho fonador?

Um primeiro e importantíssimo exame a ser feito e que é rápido e indolor, é a LARINGOSCOPIA, que é o exame médico das cordas vocais. À partir deste exame se o médico julgar necessário, solicitará outros exames mais específicos.

Estes cuidados servem para todos ou apenas para os cantores?

” As normas de cuidados com a voz devem ser seguidas por todos, particularmente por aqueles que utilizam mais a voz ou que apresentam tendências a alterações vocais. Esses são chamados de Profissionais da Voz, ou seja, logoprofessores, atores, cantores, locutores, apresentadores, advogados, telefonistas, telemarketing, vendedores, palestrantes, dentre outros. Entretanto muitos destes profissionais muitas vezes por falta de tempo para se dedicar ao cuidado de sua voz, podem estar cultivando um distúrbio vocal decorrente do abuso ou mal uso da voz”.

 

Autor Desconhecido

Dicção e controle do ar

Alguns exercícios ajudam a termos a percepção de como podemos controlar o ar na hora do canto, pois muitas vezes jogamos muito ar fora logo na primeira palavra, aí não conseguimos acabar a frase ou desafinamos. Confira alguns abaixo:

Bexiga de ar: Inspirar enchendo todo o pulmão, sem estufar o peito, encher de uma vez só uma bexiga de ar e vedar a saída com o indicador e o polegar. Inspirar de mesma maneira e soltar o ar devagar,Teatro evangélico simbolo em sopro, controlando a saída, ao mesmo tempo em que solta o da bexiga com os dedos. Devem acabar juntos, o seu ar e o da bexiga. No começo é difícil, mas é um ótimo exercício de percepção. Depois tente controlar o ar com as frases longas das canções.

Vela: 

Acender uma vela, posicioná-la a um palmo da boca; inspirar como acima e soltar o ar, como em sopro, controlando a saída retraindo o abdômen devagar, sobre a chama da vela, sem apagá-la. Procurar manter a chama sempre dançando da mesma maneira, se ela diminuir muito ou apagar, você soprou muito forte, se ela ficou ereta, seu ar falhou.

Frequência dos exercícios: três vezes cada, três vezes na semana.

Dicção: 

A boa dicção é muito importante para o canto, pois se você não articula bem as palavras, fica difícil de se entender o que você está dizendo, e se não abre a boca o suficiente, a voz sai anasalada. Um exercício fácil é cantar exagerando na articulação, ou ler textos exagerando, abrindo mais a boca do que necessário, pra que ganhe mais abertura.

Você pode também cantar os vocalizes articulando bem as vogais e consoantes, usando sílabas como:

TRA, TRE, TRI, TRO, TRU
BLA, BLE, BLI…
LARA, LERA…
VINE…VIVIU
AU…AI…AÊ…ÓI
NAU…NOIM…
enfim, invente e articule!

Um bom exercício para “amaciar” e relaxar a boca é fazer uma mastigação de boca fechada e depois aberta, fazendo muita careta, com som de “humm”.

2a. voz: A segunda voz é uma mesma frase da canção cantada com notas diferentes da primeira. A mais comum é quando você canta as mesmas notas da primeira frase uma terça acima ou abaixo, teatro_evangelico_original_simboloou uma quinta. Muita gente tem essa percepção natural e faz isso sem nunca ter estudado música, mas isso não deve se constituir uma regra. A 2a. voz é qualquer frase cantada com notas diferentes da primeira, mas que soe bonito, harmônico, que combine.

Você pode treinar isso escolhendo canções de algum cantor ou cantora cuja voz se aproxime da sua na extensão vocal, ou seja, que você consiga cantar junto sem fazer muito esforço, então você ao invés de cantar na mesma altura, com as mesmas notas, vá tentando fazer diferente, cantando mais grave ou mais agudo um pouco, procure gravar e ouça com atenção pra ver se soa harmônico, se está combinando.

 

  • Trêmulo: O trêmulo, aquela tremidinha no final das frases que alguns cantores fazem, na minha concepção é um recurso natural, da personalidade de cada um, eu desconheço técnica para isso.Se você der uns soquinhos na barriga a voz treme, mas não é natural.

O Pré-Aquecimento Vocal

O que é pré-aquecimento vocal?

É, como o nome já diz, um aquecimento prévio da voz ou simplesmente a preparação da voz para o seu uso por um tempo prolongado e intenso.

Podemos aquecer nossa voz através de sons que irão “massagear” nossas pregas vocais (que são músculos) que como todo músculo precisam ser preparadas e aquecidas antes de serem utilizadas na sua plenitude.

Lembrem-se que este pré aquecimento pode (e deve) ser feito não só pelos cantores mas também por todos os profissionais da voz, ou seja, todas as pessoas que trabalham falando.

EXERCÍCIO 1:

1) Inspire (armazenando o ar na região abdominal, como vocês já aprenderam) até que a barriga esteja repleta de ar.

2) Agora solte o ar aos pouco utilizando o som:

Prrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr……

Observe que neste exercício a língua deve vibrar bastante!!!! Caso a sua língua não vibre e você esteja forçando para emitir este som, Teatro nas igrejas Cristã.PARE! Pois estará fazendo da forma errada. Entre em contato comigo se surgir alguma dúvida, certo?

Mas se você conseguiu emitir o som com a vibração constante da língua, repita este exercício todos os dias pelo menos durante 10 minutos.

Se for cantar em uma apresentação ou videokê ou ensaiar com sua banda por muito tempo, pré-aqueça sua voz durante 20 minutos (no mínimo) antes de começar a cantar.

  • Pode-se também utilizar outras consoantes que possibilitarão o mesmo efeito como, por exemplo, o som:

Trrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr…

Como se você fosse imitar o som do telefone ( TRRRRRIM!!!), mas lembrando de prolongar bastante os erres (RRRR…) até acabar o ar.

EXERCÍCIO 2:

Depois de já haver treinado bastante e já estar emitindo os sons PRRRR… e TRRRR… Sem falhas ou interrupções, vamos repetir o exercício anterior com uma diferença:

No final de cada som iremos acrescentar as vogais A,E,I,O,U.

Exemplo1:

PrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÁ!!!!
PrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÉ!!!!
PrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÍ!!!!
PrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÓ!!!!
PrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÚ!!!!

Exemplo2:
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÁ!!!!
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÉ!!!!
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÍ!!!!
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÓ!!!!
TrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrÚ!!!!

IMPORTANTE!!!

Assim como nos exemplos acima, o som que você estiver produzindo para pré-aquecer, deverá estar no mesmo volume, intensidade e tom.

= ***NÃO BRINQUE COM ESTE EXERCÍCIO FAZENDO SONS MUITO AGUDOS, MUITO GRAVES OU MISTURANDO OS DOIS TONS.***

Repita os exercício SEMPRE no seu tom natural.

Como fazer para identificar o seu tom natural?
É simples, o seu tom natural é aquele que você emite sem
“forçar a garganta”, é um som natural que sai sem esforço nenhum, como se você estivesse falando.Símbolo de teatro evangélico

Se você não conseguiu fazer estes exercícios até acabar o ar armazenado (sem utilizar o ar de reserva, certo???), ou seja, você começou bem mas no meio do exercício o som falhou,

Pare! Respire fundo por 3 vezes, relaxe um pouco e só então recomece.

 

É muito comum, no início, não conseguirmos emitir estes sons até o final, pois trata-se de sons que nós não estamos habituados a produzir, mas com o treino diário, fica cada vez mais fácil, acreditem!!

Relaxamento

Atenção: Os exercícios aqui apresentados não substituem, em nenhuma hipótese, uma aula com um professor de canto. Os principais objetivos deste site são:

Mostrar a importância de estudar técnica vocal, tanto para o cantor profissional como para o amador.

Mostrar que é possível estudar técnica vocal voltada especificamente para o canto popular. É claro que alguns pontos vão ser iguais aos do canto lírico (afinal, o instrumento é o mesmo!), mas a forma de apresentar os exercícios é diferente – segue a estética da música popular.

Oferecer aos alunos de canto popular uma espécie de “apostila”. Assim eles poderão intensificar o treinamento feito em aula, otimizando o aprendizado.

  • Iniciar um processo de troca de idéias entre alunos, cantores, professores de canto e outros profissionais da voz. O relaxamento evita que você sobrecarregue o seu corpo com tensões e desgastes desnecessários. E no caso do cantor, o seu instrumento é o próprio corpo!

Você estuda, trabalha, namora, enfrenta o trânsito … É claro que é quase impossível estar permanentemente relaxado. E o pior é que muitas vezes você não se dá conta do quanto esta Teatro para Cristo e seu Louvortensão se reflete nos seus músculos – principalmente pescoço, ombros e costas. A nossa idéia é facilitar a consciência corporal – quer dizer: com estes exercícios, você pode melhorar a percepção do que acontece com seu corpo num dado momento.

Estes exercícios não foram inventados por mim, mas reunidos em diversas aulas de canto, de yoga e de tai-chi. Existem várias formas de relaxar, e acredito que o melhor é ir experimentando estas (e outras) diferentes maneiras, até encontrar as suas técnicas preferidas.

Observação: Tente adquirir o hábito de “monitorar” a tensão muscular. Você pode fazer isso em qualquer situação do dia-a-dia: observe sua postura, por exemplo, ao digitar ou segurar o mouse. Será que não está dispendendo mais energia do que o necessário? Faça uma pausa de alguns minutos, use um destes exercícios e retorne ao trabalho.

Exercício 1

Bem devagar, faça movimentos com a cabeça: primeiro para a frente, como se fosse encostar o queixo na base do pescoço; para trás, fazendo o queixo apontar para o teto; para cada um dos lados, como se fosse levar cada orelha ao ombro (atenção: não eleve o ombro, é a cabeça que se move!).

Exercício 2

Sempre devagar, faça movimentos de rotação com a cabeça. Deixe os ombros relaxados. Se ficar tonto, leve a ponta da língua ao céu da boca e aperte.

Exercício 3

Faça movimentos circulares de rotação com os ombros – primeiro de trás para a frente, depois invertendo a direção.

Exercício 4

Em pé, procure alcançar o teto com as mãos. Tente sentir a musculatura se alongando, especialmente a dos braços e as laterais do tronco. Então, deixe o corpo “desabar” para a frente, com as mãos em direção ao solo. Deixe a cabeça relaxada também (não tente olhar para a frente). Vá então levantando bem devagar, começando sempre pela cintura – a cabeça será a última a voltar à posição ereta.

Exercício 5

Esfregue as mãos para aquecê-las. Massageie então o seu pescoço, começando atrás das orelhas e descendo até os ombros. Descubra onde estão os pontos mais tensos e tente “acalmá-los” com as pontas dos dedos.

Exercício 6

Deitado, contraia apenas os dedos dos pés. Observe a sensação de estar assim tenso. Então, relaxe os dedos. Agora, observe bem a diferença entre estar tenso e relaxado. Repita esta experiência com cada parte do corpo – pé, batata da perna, joelho, até chegar ao rosto. Tente vivenciar plenamente o contraste entre tensão e relaxamento.

 

Diana Goulart

Relaxar e aquecer

Vamos falar um pouco sobre Relaxamento, Alongamento e Aquecimento: para cantarmos bem, necessitamos estar com a musculatura do corpo, principalmente a região dos ombros, costas e pescoço, relaxada, alongada e com as pregas vocais devidamente aquecidas. Para esse fim, existem inúmeros exercícios; abaixo, alguns dos mais usados:

Relaxamento:

Do corpo: de pé, pernas afastadas dois palmos, braços ao longo do corpo; girar o tronco para esquerda e direita, lentamente, os braços acompanhando o movimento, a cabeça e o olhar Oficina de teatrotambém; o calcanhar direito levanta-se levemente e o joelho direito dobra um pouco quando o tronco gira para a esquerda, e vice-versa. Duração: dois minutos ou até sentir o corpo relaxado.

Ombros: de pé, pernas unidas, girar os ombros para trás algumas vezes e depois para a frente, com os braços pendentes e articulando bem, lentamente. Duração: dois minutos ou até relaxar.

Massagem: com as pontas dos dedos, massagear suavemente a região do pescoço, rosto e couro cabeludo.

Alongamento:

  • Do corpo: de pé, pernas unidas, braços ao longo, iniciar uma inspiração pelo nariz, lentamente, ao mesmo tempo em que eleva os calcanhares e os braços ( lateralmente ) . Ao findar a inspiração, as mãos devem estar unidas e os braços esticados para cima, os calcanhares elevados ao máximo. Feito isto, prende-se a respiração por 3 segundos e solta-se o ar suavemente pela boca, em sopro, ao mesmo tempo em que descem os braços e calcanhares. 3 vezes seguidas.

Pescoço: de pé ou sentado, braços levantados lateralmente na altura dos ombros, e mãos no peito; iniciar uma inspiração pelo nariz lentamente, ao mesmo tempo em que estica-se o Teatro Evangélico suporte para ministériospescoço à frente, até encostar o queixo no peito; prender o ar 3 segundos e voltar à posição inicial, soltando o ar suavemente em sopro e esticando o pescoço. 3 vezes seguidas.

Giro da Cabeça: suavemente, girar a cabeça para direita e esquerda, depois tombando-a para ambos os lados, para frente e para trás, e produzir o giro completo, executando cada posição quatro ou cinco vezes, sentindo o alongamento da musculatura do pescoço.

Rosto: inspirar e, com a boca fechada, produzindo um som em “m”, movimentar lenta e largamente os músculos da face, como se estivesse mastigando. 3 vezes até acabar, depois 3 vezes com a boca aberta.

Aquecimento:

  • Motorzinho: inspirar e soltar o ar produzindo um som gutural, como um motor, retraindo o abdômen, abrindo bem a boca, até o ar acabar. 3 vezes.
  • Baforada: inspirar e soltar o ar como uma baforada, lentamente, como um “A” sussurrado, até o ar acabar. Retrair o abdômen devagar e relaxar a garganta. 3 vezes.
  • Língua: inspirar e produzir uma vibração com os lábios, em “TR”, soltando o ar e sentindo a vibração da língua no céu da boca, sempre retraindo o abdômen devagar, controlando o ar. 3 vezes.
  • Lábios: inspirar e produzir uma vibração com os lábios, em “BR”, até o ar acabar, trabalhando o abdômen 3 vezes.
  • Ressonância: inspirar e produzir som de “DZ”, com a ponta da língua encostada nos dentes frontais da arcada superior, até o ar acabar, trabalhando o abdômen. 3 vezes.
  • Glissando: inspirar e produzir som com “TR” ou “BR”, começando do som mais grave e subindo gradativamente até o mais agudo da voz, voltando ao grave da mesma forma, como uma escala.3 vezes.

 

Obs: Todos os exercícios devem ser executados com muita atenção à respiração e o uso do diafragma, controlando o ar expirado, sem forçar a garganta. Além desses exercícios, o aquecimento com vocalizes, trabalhando vogais e consoantes com boa articulação, em escalas, tríades ou tétrades, também devem ser feitos ao menos uma hora antes de cantar, por vinte minutos no mínimo.

Respiração

O controle da respiração é fundamental para quem quer cantar ou atuar. Será que você está aproveitando toda a sua capacidade respiratória?

Na inspiração, o tórax se alarga e o diafragma, contraído, fica numa posição baixa. Isto permite que o ar entre naturalmente em nosso corpo. Quando a musculatura relaxa, encolhendo o tórax e elevando o diafragma, o ar sai (expiração).

Para a produção da voz, porém, é importante pensar na inspiração e na expiração como sendo um mesmo processo, um único movimento. O alargamento do tórax deve ser aproveitado ao máximo enquanto se produz o som – o cantor está sempre numa atitude de inspiração, Divulgação teatro evangélico na webmantendo assim o tóxax aberto e o diafragma abaixado.

Nesta condição, ele tem todo o controle (apoio) necessário à produção do canto. A cada nova frase cantada, o processo se repete: o tórax encolhe para expulsar o resto de ar “antigo” e imediatamente expande, trazendo novo suprimento de ar para se produzir a próxima frase.

Observação: Note que mudanças na sua rotina – como dormir mais tarde do que o costume, uma gripe forte, uma situação estressante, etc. – podem afetar significativamente o seu desempenho. Quando isto ocorrer, não desanime: use esta constatação a seu favor, ampliando a sua capacidade de autoconhecimento. Saber como funciona o seu corpo é fundamental para quem quer cantar!

Exercício 1

Inspirar expandindo o tórax. Você deve sentir o alargamento das costelas flutuantes, mais ou menos na altura da cintura. NÃO LEVANTE OS OMBROS NEM ESTUFE O PEITO! Cuide também para que a musculatura do pescoço não esteja tensionada. Sustentar por alguns segundos (pausa) e expirar esvaziando totalmente (sanfona).

Exercício 2

Repetir o ex. 1, desta vez fazendo o som “SSSSS…” (contínuo) durante a expiração. Procure manter o som homogêneo, estável, sem variação de intensidade, e durante um tempo confortável, sem exageros.

Exercício 3

Oficina de teatro - workshopRepetir o ex. 1, agora fazendo sons bem curtos em “S” (stacatto). A cada som corresponde uma expansão do tórax (como se quizesse alargar ainda mais a cintura).

Exercício 4

Alternar os exercícios 2 e 3: S – S – S – S – SSSSSSSSS (stacatto / contínuo).

Exercício 5

Repetir os exercícios com os sons de CH e depois com F F. Marque o tempo confortável para manter um som contínuo, homogêneo, sem oscilações (SSS, CH, FFF). A partir deste tempo básico, comece a tentar aumentar sua capacidade, mas sem perder a qualidade.

Exercício 6

Inspire lentamente enquanto caminha cinco passos. Observe sempre o alargamento natural do tórax. Quando fôr dar o sexto passo, comece a fazer um som com a boca fechada (bocachiusa): Hummmmm….. Teatro é uma expressão de louvor a Deusdurante os próximos cinco passos. Atenção: use a região média de sua voz – ou seja, o som não deve ser nem muito grave nem muito agudo. No sexto passo, “jogue fora” o ar que restou e recomece o processo – volte a inspirar lentamente e repita o ciclo.

Exercício 7

Parecido com o anterior, mas em vez de “hummmmm”, conte de 1 até 5, dizendo um número para cada passo. Atenção: use a região média de sua voz.

Exercício 8

Mantenha os cinco passos para inspirar, mas tente variar o tempo de expiração – por exemplo, você pode ir acrescentando dois passos de cada vez. É uma boa maneira de monitorar o seu progresso

Sergio Amaral